Receba dicas grátis!

Taxa condominial: entenda como funciona as cobranças e saiba como reduzir as despesas do condomínio

A gestão condominial envolve uma grande responsabilidade. Por esse motivo, alguns síndicos optam por contar com o apoio de uma administradora de condomínios. Os aspectos financeiros podem ser muito complexos, principalmente quando os moradores não se mostram satisfeitos com o valor da taxa.

A inadimplência pode gerar atritos se o síndico não souber conduzir as cobranças e há casos em que é necessário entrar na Justiça para receber os atrasados. Outras vezes, se o morador se sente lesado moralmente diante de alguma cobrança, pode entrar com ação contra o condomínio, cujo representante legal é o síndico.

Que entender melhor sobre o assunto? Leia mais sobre taxa condominial e outras cobranças e veja como é possível diminuir despesas do condomínio!

O que é a taxa condominial?

A taxa de condomínio é um valor mensal que todo morador é obrigado a pagar. Esse valor é devido a serviços prestados dentro do condomínio, como segurança, lazer e moradia.

A taxa condominial envolve principalmente a manutenção das áreas comuns do edifício, os produtos de limpeza, os sistemas de segurança, a remuneração de porteiros e zeladores.

De que forma é realizada a cobrança da taxa?

A cobrança da taxa é rateada entre todos os moradores ou é feita de forma fixa. No primeiro caso, as despesas são calculadas no mês antecedente e o valor é dividido igualmente pela totalidade de apartamentos (unidades).

A taxa fixa, por sua vez, deve ser determinada em Assembleia presidida pelo síndico, tendo como condicionante a aprovação dos condôminos, ou seja, se a maioria não aprovar o valor da taxa, esse valor deverá ser alterado.

Na taxa fixa, o síndico faz o cálculo das despesas e de possíveis intervenções que sejam necessárias e divide o total pela quantidade de apartamentos.

Como são realizados os cálculos?

No caso do rateio, são consideradas sempre as despesas do mês precedente. Digamos que houve uma despesa equivalente a R$ 50 mil. Existindo 20 unidades, cada apartamento deverá arcar com uma taxa condominial de R$ 2,5 mil.

No cálculo da taxa fixa, não se considera apenas o mês anterior, mas muitos meses.

A taxa condominial pode ser cobrada por quota. Esse cálculo é comum quando as unidades apresentam diferentes características. Pode ser, por exemplo, que um apartamento tenha 2 quartos e outros tenham 3. Também é possível que certos moradores tenham 2 vagas para garagem ao passo que outros tenham apenas 1.

Assim, alguns condôminos ocupam um espaço maior e/ou podem ter gastos maiores com certos recursos — um apartamento com piscina, por exemplo, certamente consome mais água.

O valor da taxa poderá, então, ser calculado de forma normal, mas a divisão será proporcional. Geralmente, as dimensões do imóvel são o principal critério para aplicar a justa proporção. Trata-se de uma divisão definida na Convenção de Condomínio, documento que define as regras do lugar. Nele, está a fração ideal de cada apartamento, que é a proporção de cada unidade calculada previamente.

Como reduzir as despesas do condomínio?

É interessante que a administração realize uma revisão dos gastos para avaliar se alguns não podem ser eliminados ou, pelo menos, reduzidos. Talvez, uma empresa terceirizada esteja cobrando valores mais elevados que outra pelos mesmos serviços. Se os serviços em ambas as empresas terceirizadas são executados com a mesma eficiência, talvez seja melhor trocar uma pela outra.

O cuidado que se deve ter é de reduzir as despesas do condomínio sem afetar a qualidade dos processos e dos resultados, incluindo reformas, segurança, manutenção e limpeza.

Está fazendo alguma coisa para diminuir as despesas do condomínio que gerencia? Considera que a taxa condominial está com um valor justo? Compartilhe com a gente, a sua experiência com certeza irá enriquecer o nosso post!

Adicionar comentário