Receba dicas grátis!

O que é melhor: ter um funcionário terceirizado ou ter um funcionário próprio

funcionário terceirizado

Para funcionar, uma empresa necessita de mão de obra adequada. Essa mão de obra é formada pelos funcionários, que pertencem ao quadro de trabalho interno da organização. Todavia, existe outra opção de obter mão de obra sem a necessidade de contratar funcionários internos ou próprios. A contratação de funcionários pode ser terceirizada, ou seja, o funcionário não pertence ao quadro de trabalhadores da empresa, mas integra outra empresa, chamada de empresa terceirizada.

A Lei da Terceirização, que foi recentemente atualizada, é a disciplina que detalha os aspectos associados ao funcionário terceirizado: a Lei nº 13.429/2017.

Leia o post e entenda as diferenças entre um funcionário próprio e um funcionário terceirizado.   Depois, tire suas conclusões sobre o que realmente é melhor!

Os salários, os encargos sociais e outros custos

Quando a empresa tem funcionários próprios assume o compromisso de pagar mensalmente uma remuneração garantida por lei, conhecida como salário. Mas, além dos salários, a empresa deve assumir uma série de encargos sociais.

É preciso verificar o piso salarial da categoria praticada na região. Sobre esse piso salarial, o gestor deve adicionar pagamentos de natureza salarial, como prêmios, horas extras, adicionais noturnos, auxílios-moradias e assim por diante.

Os encargos sociais, por sua vez, são obrigações que variam conforme a atividade desenvolvida pela empresa e o tipo de contrato de trabalho, como:

  • INSS;
  • FGTS;
  • FGTS (rescisão);
  • 13º salário;
  • férias;
  • retorno de férias;
  • encargos de férias (FGTS e INSS);
  • encargos 13º salário (INSS e FGTS).

Além dos salários e dos encargos, podem existir custos como: EPIs (equipamentos de proteção individual); uniformes; plano de saúde; seguro de vida; cursos e treinamentos; vale transporte; ticket alimentação, cesta básica, almoços e lanches; indenizações (por acidente, aviso prévio e outras coisas).

Os processos trabalhistas

Outro problema muito comum no relacionamento com funcionários próprios é a abertura de processos trabalhistas. Esses processos, além de consumirem muitos recursos da empresa, podem ser muito demorados e podem manchar também sua imagem. Uma empresa que responde (ou já respondeu) por processos trabalhistas fica, geralmente, mal reputada no mercado e entre os profissionais sérios. Até os consumidores podem ficar desconfiados.

A melhor forma de evitar processos trabalhista é assumindo todos os custos com seus funcionários próprios e evitar conflitos de outras naturezas, pois constrangimentos e agressões físicas também render multas e longos processos judiciais.

O funcionário terceirizado

No que tange ao funcionário terceirizado, não quer dizer que a empresa contratante dos serviços terceirizados deixe de assumir a sua responsabilidade. Ela precisa oferecer o ambiente apropriado para o trabalhador e deve fiscalizar a empresa terceirizada, certificando-se de que ela cumprindo suas obrigações trabalhistas. Se essa empresa não efetuar corretamente o pagamento, a empresa contratante deve assumir os custos. O que a legislação procura coibir é que o funcionário terceirizado fique desprotegido profissionalmente.

De qualquer modo, a própria lei deixa claro que não existe vínculo empregatício entre a empresa e o funcionário que for terceirizado, o que representa menos gastos, menos burocracia e menos preocupações para o gestor.

Com menos preocupações, o gestor tem mais tempo para se dedicar ao planejamento estratégico do negócio, a criar metas que ajudem a alcançar os objetivos no menor tempo possível.

O profissional terceirizado geralmente é uma pessoa muito capacitada para o desenvolvimento de suas funções, oferecendo resultados mais produtivos e satisfatórios.

O melhor para a sua empresa

Depois das considerações feitas, cabe a você decidir o que é melhor para sua empresa. A terceirização é uma estratégia que, quando bem executada, contribui para a redução de custos, o aumento da produtividade e o crescimento do negócio.

Reduzir as possibilidades de conflitos judiciais já é, por si só, um benefício que pode despertar o interesse de muitos gestores.

Faça cálculos e projeções, compare os prós e os contras e decida se é mais vantajoso manter um funcionário próprio ou um funcionário terceirizado.

Qual é a sua opinião sobre o tema? Prefere contratar funcionários para trabalhar internamente ou recorrer aos serviços prestados por uma equipe terceirizada? Aproveite para deixar a sua opinião aqui no blog!

Adicionar comentário