Receba dicas grátis!

Entenda qual a importância de uma administradora de condomínios

administradora de condomíniosOs condomínios são espaços em que diferentes pessoas vivem em coletividade, dividindo áreas comuns, mas sendo donos também de áreas particulares, sua propriedade privada. Gerenciar o condomínio é uma competência do síndico. Mesmo não sendo exigido que tenha nenhum tipo de curso, para exercer com eficiência sua função, o síndico deve ter conhecimento na área administrativa.

Atualmente, é muito comum os condôminos contratarem os serviços de uma administradora de condomínios para gerenciar o local. Veja a importância dessa instituição para manter a ordem, a harmonia e a segurança entre os habitantes de um condomínio!

O que é uma administradora de condomínios

A administradora de condomínios é uma preposta do síndico. Isso significa que ela representa o síndico em todas as suas funções e responsabilidades, além de orientá-lo sobre o que ele deve fazer, as medidas que pode e deve tomar e assim por diante.

O seu objetivo é, portanto, atender as demandas e as necessidades dos moradores, permitindo que toda a comunidade fique feliz com os resultados da administração.

Como o síndico é o mandatário legal de todas as decisões, tendo como base a Lei de Condomínios e a Convenção de Condomínio, a administradora procura orientá-lo sobre aspectos legais, fazer a contabilização das receitas e das despesas, preencher a folha de pagamento dos funcionários, distribuir os boletos referentes ao pagamento das taxas condominiais, dar assessoria nas assembleias, prestar contas do que foi gasto aos condôminos e outras coisas.

A Lei do Condomínio: marco na administração condominial

Com a Lei do Condomínio, criada em 1964, apareceram muitas inovações, coisas que ainda não existiam naquele tempo. É o caso da Convenção Condominial, dos regimentos internos, determinações acerca do comportamento do condômino durante as assembleias.

A lei também tratou sobre as competências, sobre como deveriam ser distribuídas as despesas entre os moradores e instituiu o seguro obrigatório para condomínios.

A Lei nº 4.591/1964 (Lei do Condomínio) regulamente ainda nos dias atuais a vida em condomínio, respeitando as disposições do Novo Código Civil (2002).

Perante uma regulamentação legal, tornou-se necessária a atuação de uma administradora de condomínios, pois ele passou a ser tratado como um importante agente ativo para a economia nacional. A tributação começou a se fazer sentir cada vez mais intensamente sobre os condomínios.

As novas exigências, resultantes da lei, fizeram com que muitas administradoras fossem bastante procuradas por condôminos e construtoras e suas funções também se multiplicaram conforme o tempo passava e novas necessidades precisavam ser supridas.

A importância de uma administradora

O condomínio tem que desenvolver as atividades de uma empresa. Se um condomínio tivesse que construir um Departamento de Recursos Humanos e um Departamento Pessoal para fazer recrutamento e seleção de funcionários e preencher a folha de pagamento desses empregados, essa medida implicaria em custos muito altos para os condôminos.

Da mesma forma se ele tivesse que abrir um setor de contabilidade e fiscal para administrar receitas, despesas e obrigações tributárias.

Considerando esses aspectos, a administradora de condomínios funciona como um serviço coletivo com a finalidade de dar suporte qualificado às atividades condominiais, apoiando para que as rotinas do local permaneçam sempre em ordem. Tudo a um custo-benefício muito mais vantajoso.

É muito comum nos condomínios os serviços de compra coletiva, buscando assim reduzir custos, melhorar processos logísticos, assegurando, no final de tudo, o melhor funcionamento para o empreendimento.

Os funcionários de uma administradora são capacitados, procuram se atualizam constantemente, acompanhando as novas tecnologias e as tendências do mercado condominial. Existem equipes preparadas para atuar em diversas áreas, como: contabilidade, departamento pessoal, setor financeiro, recursos humanos, planejamento tributário, controladoria e assim por diante.

E você? O que pensa sobre o trabalho da administradora de condomínios? Faça um comentário e compartilhe sua opinião com outros leitores!

Adicionar comentário